Consequências da Tempestade de 8 de novembro de 2017 em Brasília

Quem se interessa por fotografia procura desenvolver o aspecto estético nas imagens que captura. Não é o caso, porém, nesta sequência de fotos que hoje apresento a vocês.
Foi na madrugada do último dia 8 de novembro. Uma tempestade brutal atingiu Brasília e adjacências. Afirma-se que em alguns pontos o vento alcançou a velocidade de 120 km/h. A chuva foi intensa e, em alguns lugares, também caiu granizo. Um rastro de destruição, com destelhamentos, árvores arrancadas pela raiz, paredes e muros caídos, postes partidos ao meio, não deixa dúvidas quanto à fúria da natureza.
Todas as imagens aqui apresentadas foram feitas no Lago Norte, na manhã do dia 8, quando ainda chovia um pouco. Perguntei a vários moradores antigos da área se haviam visto coisa parecida anteriormente, e a resposta foi enfática: NÃO. 
Bem, vejam as fotos, lembrando que as árvores não foram atingidas por raios. Foi a força do vento, mesmo. Fica aqui um "registro para a posteridade". É preciso refletir quanto ao significado de tudo isso.


Foto acima: 30 mm, f/8, 1/250 s, ISO 400


Foto acima: 26 mm, f/8, 1/400 s, ISO 400


Foto acima: 32 mm, f/8, 1/400 s, ISO 400


Foto acima: 18 mm, f/8, 1/320 s, ISO 400


Foto acima: 20 mm, f/8, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 30 mm, f/8, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 55 mm, f/8, 1/640 s, ISO 400


Foto acima: 30 mm, f/8, 1/400 s, ISO 400


Foto acima: 55 mm, f/8, 1/400 s, ISO 400


Foto acima: 46 mm, f/8, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 55 mm, f/8, 1/200 s, ISO 400


Foto acima: 40 mm, f/8, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 55 mm, f/8, 1/400 s, ISO 400


Foto acima: 38 mm, f/8, 1/400 s, ISO 400


Foto acima: 32 mm, f/8, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 25 mm, f/8, 1/250 s, ISO 400


Foto acima: 55 mm, f/8, 1/640 s, ISO 400

Em uma pré-escola:


Foto acima: 48 mm, f/8, 1/320 s, ISO 400

Gloriosos Ipês

Ipês-amarelos no Parque da Cidade (Brasília - DF).


Foto acima: 18 mm, f/8, 1/40 s, ISO 100


Foto acima: 22 mm, f/8, 1/80 s, ISO 100


Foto acima: 24 mm, f/8, 1/1000 s, ISO 400


Foto acima: 55 mm, f/8, 1/500 s, ISO 400

Não Nevou no Cerrado - Fotografia Infravermelha

Paisagem do Brasil Central (Estado de Goiás) em fotografia infravermelha a 680 nanômetros.

Foto acima: 55 mm, f/8, 1/160 s, ISO 100

Aula de Natação ou de Voo?

O patinho-selvagem (Cairina moschata) deve estar confuso:
- Não é uma aula de natação? Por que a mamãe está batendo as asas?


Foto acima: 125 mm, f/5.6, 1/320 s, ISO 640

Igreja de Nosso Senhor do Bonfim (Pirenópolis - GO) - Fotografia Infravermelha

A pequena igreja colonial é vista aqui em uma infravermelha a 680 nanômetros.


Foto acima: 55 mm, f/8, 1/320 s, ISO 100

Esquadrilha da Fumaça em Brasília (7 de setembro de 2017)

Um belo espetáculo no encerramento do desfile comemorativo ao dia da Independência do Brasil.


Foto acima: 300 mm, f/16, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/16, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/14, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/14, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/18, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/18, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/16, 1/500 s, ISO 400

Sobrevoando o Congresso Nacional:


Foto acima: 300 mm, f/14, 1/500 s, ISO 400


Foto acima: 300 mm, f/18, 1/500 s, ISO 400

Pica-pau-carijó Trabalhando no Cerrado

Pica-pau-carijó (Colaptes melanochloros) em ação. Ta-ta-ta-ta-ta... É possível ouvi-lo a grande distância.


Foto acima: 300 mm, f/5.6, 1/2000 s, ISO 1000